Ligue e Assine: (48) 3265-0446

15/08/2014 | Tamanho da Letra A- A+

Nova série: Cigarro uma droga lícita

Após acompanhar a trajetória de vida de moradores do Vale do Rio Tijucas, na série ‘Nosso Bairro, Nossa Gente’, o Correio Catarinense apresenta aos leitores uma proposta de leitura. A partir desta edição, vamos abordar temas do cotidiano, subdivididos em capítulos e transformados em séries com duração de aproximadamente um mês. Como ponto de partida, optamos por uma abordagem voltada à saúde: ‘Cigarro, uma droga lícita’. Durante quatro semanas você encontrará no jornal matérias sobre este assunto.

O tabaco, conhecido popularmente como ‘fumo’ é uma planta originária dos Andes. Popularizou-se por meio das migrações dos índios pelas Américas a espécie chegou ao Brasil. Além de ser utilizado para fumar, os indígenas comiam, bebiam, mascavam e aspiravam as folhas.No país, a produção e uso do cigarro são permitidos por lei, liberado para comercialização e consumo. Apesar de ser a fonte de renda de diversas famílias na região, a cultura requer cuidados, pois pode prejudicar a saúde de quem o cultiva.

O agricultor aposentado, Santo José Zunino, 75 anos, é morador do distrito de Tijipió, em São João Batista. Por aproximadamente 35 anos, ao lado da esposa Odete e dos três filhos, Santo tirou o sustento da lavoura de fumo. Na propriedade da família, a produção era de 60 mil pés, divididas em duas estufas. “O trabalho começava de manhã cedinho, e às vezes, até virávamos a noite na época da safra” explica dona Odete.

 

#1

Texto e fotos: Marcia Peixe

Confira a matéria completa na edição nº 452, do jornal Correio Catarinense