Ligue e Assine: (48) 3265-0446

19/08/2014 | Tamanho da Letra A- A+

Aumento maior que o esperado da energia refletirá no preço do calçado

A elevação média de 22,6% nas tarifas de energia elétrica para os consumidores catarinenses, definida ainda na terça-feira, 5 de agosto pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), agravará não só a situação do setor calçadista, mas de todos os industriais do Estado. De acordo com o diretor executivo do Sincasjb - Sindicato das Indústrias de Calçados de São João Batista, Rosenildo Amorim, não houve muita reclamação entre os empresários, mas claro que isso afetará no preço final do par de sapatos. "Com certeza irá nos prejudicar, mas não temos valores. Se for preciso, nos reuniremos e vamos lutar por preços melhores", garantiu Amorim. 
 
O presidente do Sincasjb, Wanderley Zuinino argumenta que a energia é fundamental nos processos produtivos do setor calçadista e incide diretamente no custo. “Sabiamos da necessidade do acréscimo, mas o governo poderia ter dado ano a ano, não tudo de uma vez”, acrescentou. 
 
Um dos diretores da indústria de Calçados Ala, Alysson dos Santos ressaltou que esse aumento afeta a todos. Mas, para quem produz , já percebem prejuízos, pois já tinham fechado pedidos com um determinado valor e não dá para repassar outro preço. “Mesmo assim, é efeito cascata, o consumidor final irá sentir a diferença”, comentou.
 
Leia mais na edição impressa - texto e foto Dirleni Dalbosco